Website do projecto Interior Éolico

Dedicado ao estudo de viabilidade de um parque eólico junto à aldeia de Cabeça em Seia e à tecnologia Eólica.

Análise económica

Organizações, indústria e empresas de serviços assumem o seu interesse na energia eólica, como um bom investimento e como solução para os problemas energéticos do futuro.

Em termos económicos, estima-se que em grande número de países a energia eólica é competitiva face às energias fóssil e nuclear, desde que se considerem os custos sociais e externos, tais como a diversidade energética, o desenvolvimento económico, produção dispersa e benefícios ambientais.

O custo da energia gerada através de sistemas eólicos é basicamente determinado pelos seguintes parâmetros:

  • Custo total do investimento;
  • Custo de fabrico dos aerogeradores eólicos;
  • Custo de preparação do projecto e infra-estruturas, etc;
  • Custo de operação e manutenção;
  • Valor percentual da operabilidade do sistema;
  • Tempo de vida;
  • Valor médio da velocidade do vento no local de instalação;
  • Taxa de actualização

Retirado de
http://www.edprenovaveis.com/recursos/menus/19948_1841842008145719.jpg

Critérios de avaliação económica

Nesta análise serão incluídos cálculos dos indicadores económicos, VAL,TIR e Pay-back, obtidos através de uma folha de cálculo.

O VAL, valor actual líquido, assenta na comparação dos cash-flows actualizados gerados pelo projecto, com o capital investido, A sua determinação pressupõe fixar a taxa de actualização. No nosso trabalho considerámos uma taxa de actualização de 7%, considerando que as obrigações do Estado Português pagam entre 4 e 4,5 % de juro ao ano, sendo o restante o prémio a pagar pelo risco do investimento. O VAL foi calculado por cada ano de vida do projecto (ano 0 – ano do investimento e 20 anos de exploração), existindo uma fórmula, para o cálculo do VAL, a qual foi retirada do EOLOS 2.0 do INETI. As fórmulas do TIR e do Pay-back também foram retiradas da mesma base de dados.

A taxa interna de rentabilidade (TIR) é a taxa que torna o VAL nulo. Representa a taxa mais elevada a que o investidor pode contrair um empréstimo para financiar o investimento, sem perder dinheiro.Neste projecto apuramos uma taxa interna de rentabilidade de 8,4%.

O Pay-back é o retorno do investimento. Este valor indica o prazo durante o qual os capitais investidos são recuperados, ou seja o “pay – back period”.

Vodpod videos no longer available.

Financiamento do investimento

Os valores de investimento unitário, por KW instalado, já incluem o equipamento, trabalho de montagem e interligações com a rede de energia eléctrica.

O custo do dinheiro no mercado tem por base as taxas EURIBOR adicionado de spreads, que aumentam com o tempo (maior risco) e as garantias dadas às instituições de crédito. Com base na taxa de referência do banco Central Europeu, actualmente de 4% (Abril de 2008), e a duração do emprétimo de 15 anos, considerámos uma taxa de financiamento de 7%.

O projecto tem um horizonte temporal de 20 anos, que corresponde ao tempo de vida útil do equipamento.

Vodpod videos no longer available.

Conlusão económica

Após considerarmos a energia produzida anualmente, a potência declarada, o investimento, a taxa de actualização, as despesas de operação e manutenção, o preço da venda da energia, os impostos (municipais e estatais) e a vida útil do projecto, concluímos que:

  • O investimento é de 2 000 000.00€;
  • O ganho é de 223 000€;
  • O tempo de retorno do investimento é de 9,4 anos.

Retirado de http://www.edprenovaveis.com/recursos/menus/11500_3434200885422.jpg

 
%d bloggers like this: